Faixa publicitária

PostHeaderIcon Desemprego

 

Desemprego no distrito de Aveiro última informação - Abril 2022

(Documento em formato PDF, 350 Kbytes) actualizada em 03-06-2022


Desemprego no distrito de Aveiro - Março 2022
Desemprego no distrito de Aveiro - Fevereiro 2022
Desemprego no distrito de Aveiro - Janeiro 2022
Desemprego no distrito de Aveiro - Dezembro e 2021
Desemprego no distrito de Aveiro - Novembro e 2021
Desemprego no distrito de Aveiro - Outubro e 2021

 

Mapa resumo do desemprego registado em 2021 no distrito de Aveiro.

Documento em formato PDF, 548 Kbytes.

 


Actualizado em (Sexta, 03 Junho 2022 11:11)

Continuar...

 

PostHeaderIcon Distrito de Aveiro esteve presente na Manifestação do Rossio até à Assembleia da República

O distrito de Aveiro esteve presente na Manifestação do Rossio até à Assembleia da República, que se realizou no dia 27 de Maio, pelo aumento dos salários e pensões,  contra o aumento do custo de vida e o ataque aos direitos

 

PostHeaderIcon Comemorações do 1.º de Maio 2022

Na passagem de mais um aniversário dos massacres de Chicago, há 136 anos, que estiveram na origem do 1º de Maio, e do 48º aniversário do 25 de Abril que teve a sua maior consagração nesse 1º de Maio de 1974, com milhões de trabalhadores na rua a exigirem e conquistarem direitos sociais e laborais, saudamos os trabalhadores que, por todo o mundo e em Portugal, lutam por melhores condições de vida e de trabalho.

Mário Reis, Coordenador da Direcção Distrital Interjovem Aveiro/CGTP-IN, referiu que grande parte dos jovens trabalhadores padece de um problema que tende a agravar, "mês a mais para salário a menos" e acrescentou que a juventude é o Futuro deste Pais, mas não nos podemos esquecer que só com luta e com uma forte espinha dorsal e carácter, seremos capazes de reverter as injustiças que existem, todos os dias nas empresas e nos locais de trabalho, e com a luta defendemos Abril, a democracia, a liberdade e os nossos direitos sociais que à muito tem vindo a ser esmagados.

Mário Reis arrematou a sua intervenção  chamando à atenção para um flagelo que estamos a assistir, denominando de "A Fuga dos Cérebros" são jovens com uma Formação Superior que decidem emigrar à procura de melhores condições de vida e de uma perspetiva de futuro que não encontram no seu país.

 

Isabel Tavares, dirigente da União dos Sindicatos de Aveiro e membro da Comissão Executiva da CGTP-IN, começou por saudar os trabalhadores do sector privado e público, os que têm vínculos efectivos e os que são fustigados pela precariedade, os jovens que lutam pelo direito de poderem viver, trabalhar e realizar-se no nosso país e aqueles que trabalharam uma vida inteira e têm direito a que a sociedade cumpra o dever de lhes assegurar um envelhecimento com direitos, bem como todos os que continuam a lutar pela emancipação social, económica e política, por melhores condições de vida e de trabalho e por um mundo novo, liberto da exploração do homem pelo homem.

Lembrou que 40 anos depois, os brutais acontecimentos do 1º de Maio no Porto e o assassinato de dois camaradas, o ferimento de centenas de pessoas, 58 das quais tiveram de receber tratamento hospitalar e a grande resposta de luta, persistência e coragem dada pelos trabalhadores, numa demonstração que o sindicalismo de classe, a liberdade sindical e a CGTP-IN, não se verga às intimidações, por mais violenta que seja a acção das forças repressivas e as provocações.

 

Isabel Tavares terminou a sua intervenção afirmando que a CGTP-IN, assume as propostas e reivindicações que emergem nos locais de trabalho, com a força de quem trabalha, exige melhores serviços públicos, que o SNS seja reforçado e os cuidados de saúde não faltem, que a escola pública tenha mais meios para garantir uma educação de qualidade aos filhos dos trabalhadores, para que a cultura seja uma realidade acessível a quem trabalha e a toda a população em todo o território nacional, para que seja garantido o direito à habitação, que a justiça não seja uma área de acesso exclusivo dos privilegiados e a protecção social não se transforme em acto de caridade.


No próximo dia 10 de Maio, a Inter-Reformados e o Murpi, irão realizar uma Acção de Luta Nacional descentralizada pelo Aumento real das reformas e salários, considerando que estamos perante uma emergência social que exige que as pensões e os salários sejam aumentados para fazer face ao abrupto aumentos dos bens de primeira necessidade e dos preços em geral.

 

No final, foi aprovada uma Resolução, onde os presentes assumiram o compromisso em torno da luta pela concretização das reivindicações gerais que, num momento de agravamento da situação dos trabalhadores e reformados por via do brutal aumento do custo vida, se exigem medidas excepcionais e imediatas tais como:

 

Ø  Reafirmar a reivindicação de aumento dos salários de todos os trabalhadores em 90€ em 2022;

Ø  Aumentos extraordinários de todos os salários cuja revisão/actualização tenha sido absorvida pela inflação;

Ø  Aumento extraordinário do Salário Mínimo Nacional para 800€ com efeitos a 1 de Julho de 2022;

Ø  Aumento extraordinário de todas as pensões e reformas que reponha o poder de compra, num mínimo de 20€.

Os trabalhadores têm direito a viver melhor e assumem o compromisso de reforçar a unidade, desenvolver a luta e dar mais força aos sindicatos, na luta contra a exploração, as injustiças e as desigualdades, pela erradicação da pobreza, pelos valores de Abril e por um Portugal desenvolvido, justo, solidário e com futuro, num mundo de paz e cooperação entre os povos.

 

Aveiro, 01 de Maio de 2022

 

PostHeaderIcon Combater o aumento do custo de vida

No passado dia 08 de Abril de 2022, dirigentes sindicais, estiveram no Largo da Estação de Aveiro, numa Tribuna Pública, a reivindicar o aumento dos salários e pensões para combater o aumento do custo de vida.

 

PostHeaderIcon Produzimos a riqueza, Queremos o que é nosso, Exigimos soluções

Produzimos a riqueza, Queremos o que é nosso, Exigimos soluções

Ontem, dia 31 de Março, a Interjovem e os sindicatos de classe da CGTP-IN, estiveram presentes na Manifestação Nacional que se realizou em Lisboa e no Porto.

Sob o lema "Produzimos a riqueza, Queremos o que é nosso, Exigimos soluções", a Direcção Distrital da Interjovem/CGTP-IN Aveiro e os sindicatos do distrito de Aveiro, marcharam no Porto, desde o Campo 24 de Agosto até ao Largo da Trindade onde se ouviram palavras de ordem pelo aumento dos salários, pelo fim da precariedade e pelo emprego com direitos entre outras reivindicações dos jovens trabalhadores.

Durante o mês de Março, a Interjovem esteve em contacto com os jovens trabalhadores em diversas empresas do distrito para os esclarecer e mobilizar para a Manifestação que se realizou no dia de ontem.

 

PostHeaderIcon "MELHORES PENSÕES E CONDIÇÕES DE VIDA PARA OS IDOSOS PELO DIREITO DOS TRABALHADORES À REFORMA E A UMA PENSÃO DIGNA"

"MELHORES PENSÕES E CONDIÇÕES DE VIDA PARA OS IDOSOS
PELO DIREITO DOS TRABALHADORES À REFORMA E A UMA PENSÃO DIGNA"
No passado dia 22 de Outubro, A Inter-Reformados e o Murpi realizaram uma Tribuna Pública em Aveiro, numa das dezenas de Acções realizadas a nível  Nacional, dando voz aos reformados e pensionistas nas suas reivindicações pelo avanço no direito a envelhecer com direitos, com melhores pensões e condições de vida dignas.

Acção que contou com reformados e pensionistas tanto do sector público como do sector privado, afirmando que é urgente o aumento significativo das pensões, o direito à reforma sem penalizações aos 65 anos de idade ou 40 anos de descontos, o reforço e salvaguarda do Serviço Nacional de Saúde entre outras reivindicações justas.